Pais ficam ao lado da filha de 5 anos em suas últimas horas de vida.

Zoey Catherine Daggett só tinha 3 anos de idade quando foi diagnosticada com tumor cerebral. 

Em junho de 2016, quando a menininha de Fairport (Nova York, EUA) caiu enquanto brincava no parque, seus pais Caseby e Ben a levaram ao médico, pois ela não parava de mancar. Eles esperavam um diagnóstico de tornozelo torcido ou, no pior caso, uma fratura, mas o médico não encontrou nada pelo raio-X.  

Porém, o mancar não diminuiu, e uma semana depois Zoey não conseguia mais mexer a mão. Seus pais começaram a se preocupar e a levaram para ser examinada - e o que os médicos descobriram deixou todos em choque. 

Zoey sofria de um glioma intrínseco difuso da ponte (DIPG, na sigla em inglês), uma forma rara de tumor cerebral que ocorre em crianças e fica diretamente no tronco cerebral. Ele não pode, portanto, ser removido por cirurgia. Até agora, não há quimioterapia eficaz para um tumor DIPG e as chances de cura são minúsculas.

Zoey e seus pais decidiram lutar contra a doença, e, por 2 anos, a criança resistiu bravamente à radioterapia. Enquanto isso, uma amiga da família organizou uma arrecadação de fundos pela internet para apoiá-los financeiramente. Em pouco tempo, ela levantou 46.875 dólares (aprox. R$ 190 mil). 

Caseby e Ben sempre estiveram ao lado de Zoey. Para encorajar a si mesmos, eles gravaram a voz da filha em fita e fizeram tatuagens das ondas sonoras em seus braços. 

Porém, o câncer se mostraria ainda mais forte do que o imaginado. Em junho de 2018, a radioterapia deixou de funcionar e o tumor cresceu rapidamente.

Zoey ficou cada vez mais fraca e não conseguia mais andar ou falar. Seus pais precisaram se preparar para o pior. Sentindo que havia pouco tempo, eles pegaram a menina em seus braços, escutaram música com ela e assistiram juntos ao seu filme favorito: "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban". 

Durante o filme, a menina ficava cada vez mais silenciosa, até que finalmente parou de respirar. 

O que Caseby e Ben tiveram que enfrentar não deveria ser vivenciado por nenhum pai. O único conforto é saber que, em suas últimas horas, Zoey viu que era muito amada e que nunca seria esquecida.  

Fonte:

The Sun

Comentários

Também incrível