Policial adota bebê de sem-teto usuária de heroína.

Quando o policial Ryan Holet estava de patrulha em um dia comum, ele jamais imaginou que encontraria o novo membro de sua família no quintal de uma loja. A situação, no entanto, não podia ser mais dramática: o pai de quatro crianças de Albuquerque (EUA) ficou sabendo de Crystal Hamp e seus colegas na parte de trás do prédio. A sem-teto estava perto de uma tenda e prestes a injetar mais uma dose de heroína em seu braço.     

Twitter/Bryan Looker

O oficial logo repara em algo ao olhar para Crystal: a mulher de 35 anos está muito grávida! Ao ser questionada, Crystal admite, sob lágrimas e com a agulha em mãos, que já estava grávida de 8 meses. "Por que você está fazendo isso?", perguntou o policial. "Assim você matará o bebê."

Youtube/CNN

"Eu sei que sou uma pessoa terrível e sei da situação terrível em que estou", disse Crystal, que já é viciada em heroína há anos. Ela conta a Ryan que está desesperadamente procurando alguém que adote a criança quando ela nascer. E o policial não hesitou por um segundo: "Eu estava cansado de ver tantas situações que gostaria de ajudar, mas não podia. Mas nesse momento ficou claro que eu tinha a chance de ajudar." Ele prometeu trazer a criança para sua família. 

Youtube/CNN

Sua esposa ainda não tinha ideia do crescimento inesperado da família quando o policial foi direto de viatura até sua casa para lhe contar as novidades. O casal até tinha conversado sobre adotar mais uma criança, mas queriam esperar até que o filho caçula ficasse um pouco mais velho. Mas agora, tudo se encaixava, e apenas 3 semanas depois eles já estavam com a nova filha nos braços: a pequena Hope.  

Youtube/CNN

Devido ao consumo de drogas da mãe durante a gravidez, a recém-nascida tinha síndrome de abstinência neonatal, o que significa que a menina já nasceu com sintomas de abstinência. Além disso, a síndrome causa tremores, falta de ar, disfunção do trato gastrointestinal, assim como distúrbios de crescimento posteriores. 

Youtube/CNN

Isso não assusta Ryan. Pelo contrário: "Eu me sinto tão agradecido e abençoado por temos Hope em nossa família. Não importam as dificuldades, nós estaremos lá pra ela", ele disse. E quando o momento certo chegar, ele e sua esposa querem que ela saiba quem é a mãe biológica. 

Twitter/Isabella Souza

"Nós não a demos porque não a queríamos mais", disse Crystal. "Seu pai e eu a amamos muito. Eu só queria que ela tivesse certeza de que teria uma família e uma chance." A mulher de 35 anos sabe bem o quão difícil é se libertar do ciclo vicioso das drogas depois de tantos anos. Mas ela pode estar certa de que, com os Holets, a pequena Hope terá tudo o que sua mãe sempre desejou para ela - e também muito amor. 

Fonte:

Fox News

Comentários

Também incrível