Mãe posta fotos de seu bebê natimorto para alertar futuros pais.

A australiana Kristy Watson estava super feliz quando descobriu que, depois de três abortos espontâneos, ela estava finalmente grávida de novo. Tudo corria normalmente, até que, de repente, a futura mãe se sentia cada vez pior. Pouco depois, mãe e bebê lutariam pela vida. 

Kristy, de 20 anos, mal podia esperar pelo nascimento de seu filhinho. Porém, durante as 32 semanas de gravidez, elas estava se sentindo cada vez pior. Suas mãos e pés estavam muito inchados e ela sentia terríveis dores de cabeça. Ainda que esses não sejam sintomas incomuns durante a gravidez, a mulher ficou muito preocupada. Depois de três abortos espontâneos, pairava o medo de algo ruim acontecer nas últimas semanas. Preocupada, Kristy vai ao ginecologista. 

O médico apenas mediu a pressão sanguínea da mulher grávida e a acalmou. Ele afirmou que os sintomas eram normais da gravidez e mandou Kristy de volta para casa. Então, ela foi a um hospital para procurar uma segunda opinião médica. Mesmo lá, a jovem não foi levada a sério. Novamente, os sintomas de Kristy foram atribuídos a um curso normal de gravidez e a gestante de 20 anos foi novamente mandada de volta para casa. Ela resolveu tentar uma última vez e ligou para outro hospital para descrever suas queixas, mas eles também consideraram suas preocupações infundadas. Finalmente, Kristy desistiu e foi para casa.

Chegando lá, sua condição se deteriorou rapidamente e Kristy finalmente foi hospitalizada. Os médicos a princípio queriam registrar o batimento cardíaco do feto, mas já era tarde demais. O coração do pequeno Kaycen não estava mais batendo. O pior pesadelo de qualquer mãe expectante se tornou uma triste realidade para Kristy. Mas agora os médicos finalmente sabiam o que estava acontecendo: a jovem sofria de um envenenamento por gravidez ainda não descoberto (pré-eclampsia), que custou a vida do filho e que agora poderia ser um perigo mortal para a mãe. Os rins de Kristy falharam e ela quase teve um derrame, mas os médicos conseguiram salvá-la no último momento. Mas agora a jovem de 20 anos ainda estava enfrentando o pior: ela tinha que dar à luz seu bebê natimorto.

Em sua página no Facbook "Kristy Watson - The Angel Mumma" ("Kristy Watson - a mamãe-anjo", em português), Kristy contou sobre o dia mais difícil de sua vida: 

"Eu nunca vou esquecer o momento em que me tornei sua mãe. No momento em que te segurei em meus braços, todas as dores das últimas 12 horas desapareceram de repente. Eu segurei você em meus braços, mas meu coração estava infinitamente vazio. Eu nunca vi seus olhos e nunca ouvi seu choro. Você se deitou tranquilamente em meus braços, sentindo que meu coração estava sendo arrancado do meu peito. Ser sua mãe era a melhor coisa que poderia acontecer comigo, mas como eu desejava que as coisas fossem diferentes e que eu visse você crescer para se tornar um pequeno cavaleiro, como eu te criaria para ser. Sua mãe te ama mais do que qualquer outra coisa neste mundo e eu prometo a você que sua história será escutada. Eu sinto sua falta!"

Se a doença tivesse sido reconhecida imediatamente em sua primeira visita ao médico, a vida de Kaycen poderia ter sido salva. Esse triste fato fez com que a jovem publicasse a sua história. Ela adverte as gestantes a prestar atenção a esses sintomas e, nesse caso, não aceitar ser recusada pelos médicos.

Fonte:

Gala

Comentários

Também incrível