Sacrifício voluntário: mãe salva filho ao cair de ponte de 9 metros.

Ao cair de uma ponte e despencar 9 metros pelo ar, Jennifer Duncan teve apenas um instinto: salvar o seu filho. O que tinha acontecido?

Jennifer, na época com 23 anos, dirigindo levando o seu filho de 8 meses até a escolinha do menino, como faziam todo dia. Ao cruzar uma ponte, no entanto, eles se envolveram em uma pequena batida e pararam no acostamento com o outro carro para esperar pela polícia. Ela e seu bebê estavam a salvo na beirada da ponte, ou pelo menos foi isso que ela pensou.

Youtube/USNews24

De repente, outro carro cruzando a ponte perdeu o controle e bateu no carro parado na frente deles, empurrando-os de encontro ao parapeito de proteção. Ao cair de uma altura de 9 metros no asfalto abaixo, Jennifer instintivamente protegeu seu filho com o corpo, se tornando uma espécie de escudo humano.

gofundme

Funcionou. Seu bebê não só sobreviveu à queda, como não teve nenhum ferimento.

Jennifer, no entanto, fez um sacrifício pesado. Ela ainda estava viva, o que era um bom começo, mas mesmo sua reação instantânea tendo resultado exatamente no que ela queria, sua própria vida jamais seria a mesma. Ela foi levada ao hospital com a pélvis quebrada, nove ossos quebrados nas costas, fraturas nas pernas e costelas, ferimentos nos braços e outros mais.

Ela acabou perdendo uma perna, passou meses no hospital e muitos outros meses na reabilitação para aprender a andar com a prótese. No total, ela passou por 14 cirurgias.

gofundme

"Minha maior preocupação era mantê-lo a salvo, me certificar de que ele ficaria bem", lembrou Jennifer mais tarde. "Eu só levei um segundo, vendo que estávamos caindo, eu apenas tentei me agarrar a ele o mais apertado que pude."

Amigos iniciaram uma campanha no site de financiamento coletivo GoFundMe  para ajudá-la a pagar pelo tratamento caro que ela tanto merece.

Youtube/USNews24

Que ato épico de coragem. O amor dos pais por seus filhos dá realmente às pessoas a força de um super-herói.
 

Comentários

Também incrível