Bebê é fotografado com cinzas de gêmeo falecido.

Quando Cherie Ayrton e seu marido Hayden descobriram que estavam esperando gêmeos, eles mal conseguiram conter a alegria. O jovem casal, que já tinha duas filhas, agora se animava com a ideia de ter mais duas crianças para completar a família.   

No entanto, um ultrassom de rotina na 20ª semana de gravidez revelou algo que deixaria os pais abalados. 

A neozelandesa Cherie, 31, já havia engravidado de gêmeas no passado, mas apenas uma das duas meninas conseguiu sobreviver às primeiras semanas de gravidez. Por isso, eles esperaram até a 12ª semana de gravidez para contar à família e aos amigos. Principalmente as filhas Charlie (5) e Frankie (2) mal podiam esperar pela chegada dos irmãozinhos. Com o passar do tempo e com a gravidez se desenvolvendo bem, a família começou a discutir sobre os futuros nomes dos dois meninos. Por fim, eles optaram por "Johnny" e "Tiger". 

Porém, durante um ultrassom feito pouco depois do Natal de 2017, o médico só conseguiu escutar os batimentos cardíacos de Tiger. O coraçãozinho do pequeno Johnny provavelmente havia parado de bater há poucos dias. Cherie e Hayden ficaram arrasados.  

"Foi de partir o coração que algo assim acontecesse pela segunda vez. Quando perdemos a gêmea de nossa filha, ela ainda estava num estágio muito inicial da gravidez. Acho que, por isso, a notícia da perda de nosso filho foi ainda mais difícil de ouvir. Foram meses de animação esperando pela chegada dos dois...", desabafa Cherie. 

Os médicos sugeriram que Cherie continuasse carregando os dois bebês para não colocar a vida do pequeno Tiger em risco. 

Cherie seguiu o conselho dos médicos para proteger o filho. Mas ela precisava encarar a perda de Johnny a cada ultrassom feito, já que ainda dava para vê-lo nos exames. 

Alguns meses mais tarde, Tiger finalmente chegou saudável ao mundo. Para Cherie, felicidade e tristeza nunca estiveram tão próximas como nesse dia:

"No dia 2 de maio de 2018, na 38ª semana de gravidez, nós trouxemos nossos lindos garotinhos ao mundo. Nós choramos, rimos, nos abraçamos e aproveitamos uma noite ao lado de nossos dois filhos. Na manhã seguinte, nós precisamos nos despedir de Johnny e entregá-lo à funerária, onde ele seria cremado. Nós fomos para casa e contamos os dias até que ele voltasse para nós."

Poucos dias depois, a família foi à funerária buscar as cinzas de Johnny. A pequena Charlie, que era a que mais sofria com a perda do irmãozinho, passou o tempo todo no carro agarrada à urna. 

Cherie contratou a fotógrafa Sarah Simmons para uma sessão de fotos com o pequeno Tiger. Simmons, que é amiga de Cherie, pediu para que ela levasse a urna de Johnny no dia. A fotógrafa tinha uma ideia para ajudar a amiga nesse momento de luto. Quando a mãe viu o resultado das fotos, ela ficou com lágrimas nos olhos: 

"Esta foto significa tanto para nós. O objetivo de Sarah era capturar a conexão eterna dos gêmeos em uma foto."

E a fotógrafa conseguiu. Mesmo que uma sessão de fotos com uma urna possa ser incompreensível para algumas pessoas, para Cherie e sua família é um pequeno consolo ver os gêmeos reunidos em uma imagem.

Comentários

Também incrível