Mãe compartilha foto de bebê natimorto em caixão.

Aviso: este artigo contém imagens que alguns leitores podem considerar perturbadores.

Zariah Jackson já está animada há meses com o nascimento de seu bebê. Perplexa e orgulhosa, a jovem de 17 anos observa sua barriga crescer. A caminha e as roupinhas já estão esperando a chegada do pequeno. A norte-americana da Flórida também já sabe o nome dele: Jeremiah. Porém, tudo seria diferente do esperado. 

O bebê de Zariah chegou sem vida ao mundo. Ao invés de um primeiro choro forte, a sala de parto foi invadida por um triste silêncio. "Depois do parto, ele estava calado. Eu não gritei. Eu continuei deitada e cansada, segurei meu falecido bebê e chorei", a adolescente recorda-se do pior momento de sua vida.  

A jovem se sentia tonta de tanta dor e, acima de tudo, sozinha. No Brasil, estima-se que 1 em cada 93 bebês nasce morto. E ainda que essa experiência seja algo comum e extremamente doloroso para os pais, ela ainda é um grande tabu. A maioria das pessoas prefere ficar em silêncio. Zariah, no entanto, resolveu dar um passo a frente. 

Como parte do processo de luto, a norte-americana tirou fotos do bebê quando ainda estava no hospital. Ela documentou o enterro de Jeremiah e como ele estava no caixão, ao invés da caminha que ela havia preparado para ele. Por fim, ela publicou algumas das fotos no Facebook. 

"Eu postei um monte de foto, não apenas para ter essa recordação, como também para mostrar a realidade às pessoas", explica Zariah. "Mesmo que ele esteja morto, eu ainda sou mãe. Eu queria tirar minhas fotos e compartilhar minha história para conscientizar sobre os natimortos."

Enquanto amigos e família oferecem seus pesares no Facebook, a menina também sofreu com várias mensagens malvadas de pessoas que não entendiam por que ela havia postado fotos de seu bebê morto na internet.

Porém, a adolescente não se arrepende de nada: "Meu filho tem o mesmo direito de qualquer bebê de ser mostrado aos outros pela mãe. As fotos trouxeram um pouco de negatividade, mas me ajudaram a saber que eu não sou a única mãe sem bebê. Eu aprendi que devemos valorizar o que temos enquanto o temos. Nunca se sabe quando aquilo será tirado de nós. 

É impossível imaginar como é perder a próprio filha antes de sua vida sequer começar. E cada pessoa lida com o luto de uma forma diferente. Para processar o acontecido, Zariah precisou apresentá-lo ao mundo como qualquer mãe orgulhosa faria, mesmo que ele tivesse chegado sem vida ao mundo e isso pudesse parecer perturbador ou macabro para os outros. De qualquer forma, seu pequenino sempre terá um lugar em seu coração. 

Fonte:

Mirror

Comentários

Também incrível