Elefante é resgatado após levar um tiro de um caçador.

Lisa Marabini, uma jovem mulher sul-africana, mora no Zimbabwe, onde faz trabalho voluntário na AWARE, uma organização dedicada à conservação de espécies em perigo de extinção e dos seus habitats naturais. Um dia, ela recebeu uma ligação extremamente importante: um elefante havia sido encontrado e estava gravemente ferido.

Ela e seu marido, Keith Dutlow, foram imediatamente ver se podiam ajudar. "Este elefante parece ter levado um tiro na cabeça", ela notou, mas não tinha certeza. Apesar do ferimento, o elefante parecia surpreendentemente calmo.

De uma distância de mais de 80 metros, Keith atirou no animal com um dardo tranquilizante. O gigantesco elefante cambaleou por alguns minutos e depois desabou no chão. 

Quando o grupo de resgate se aproximou, eles confirmaram que o elefante, que eles decidiram dar o nome de "Pretty Boy", tinha realmente levado um tiro na cabeça.

De acordo com o raio-x, a bala não pegou no cérebro de Pretty Boy por apenas alguns centímetros.

A ferida estava obviamente muito infeccionada e estava coberta de um líquido grosso e esverdeado que cheirava a peixe podre. Lisa nunca havia visto nada assim.

Os veterinários limparam a ferida cuidadosamente, usando instrumentos cirúrgicos para remover adequadamente o tecido infeccionado. Eles também notaram que a bala de baixo calibre (de um rifle que não era poderoso o bastante para matar um animal daquele tamanho) havia ricocheteado e fraturado o osso.

Algumas horas depois, Pretty Boy estava em pé novamente, mas seu estado era de partir o coração. Por vários longos minutos ele permaneceu completamente imóvel, com sua cabeça apoiada no tronco de uma árvore. Felizmente, nos dias seguintes, o estado dele melhorou. Estava claro para os seus salvadores que ele sobreviveria a esse "infortúnio" no final das contas.

 

Lisa e os outros ficaram particularmente impressionados com o comportamento de Pretty Boy: apesar da agressão pela qual ele havia sofrido por causa de caçadores sem um pingo de vergonha, ele ainda era incrivelmente amigável com os humanos. Até quando as pessoas que fizeram o seu resgate voltaram para ajudá-lo em sua recuperação, ele apenas permaneceu comendo e ficou totalmente relaxado. Parecia que sua fé nos humanos não havia sido abalada.

 

A caça ilegal tem sido um sério problema em algumas partes do continente africano há muito tempo e alcançou proporções epidêmicas nos últimos 20 anos. O marfim das presas do elefante é apenas um dos muitos itens de animais negociados no mercado negro todos os anos. Os esforços de prevenção normalmente recebem pouco apoio financeiro e não conseguem competir com a comercialização ilegal de partes de animais que geram bilhões de dólares a cada ano.

Felizmente Pretty Boy foi resgatado e agora vive uma vida tranquila novamente. Mas muitos elefantes não tiveram a mesma sorte, e eles não são os únicos: rinocerontes, leões, tigres e muitas outras espécies raras também são visadas pelos caçadores.

Os amantes de animais como Lisa e Keith estão trabalhando duro todo dia para deixar o mundo saber o que está acontecendo. Eles querem dar um fim à essa prática selvagem e salvar todas as espécies que ainda não foram dizimadas. Se você quiser fazer a sua parte, você pode assinar esta petição para banir o comércio de marfim na União Europeia, que serve de porta principal para o comércio global de marfim.

Talvez se todos nós fizermos a nossa parte, criaturas lindas como Pretty Boy não terão que sofrer e morrer para satisfazer vontades superficiais e a ganância de alguns colecionadores. 

Comentários

Também incrível