Mãe é tratada de forma depreciativa por funcionária e se defende.

Uma mãe vai ao Detran. Quando ela sai de lá, a sua vida muda - inclusive no papel. O que ela conta é emocionante. 

Super Ma

Uma mulher chamada Emília foi ao Detran local para renovar sua carteira de motorista. Quando a funcionária perguntou a sua ocupação profissional, Emília hesitou, pois não sabia exatamente o que deveria falar oficialmente. "Quer dizer", diz a funcionária, "você tem um emprego ou você é apenas..." - "Claro que eu tenho um emprego - eu sou mãe", Emília disse, interrompendo-a. "Mãe não é uma profissão oficial. Logo, dona de casa", diz a funcionária.   

Girl Scouts Fire Department Tour - 28 February 2012

Eu tinha esquecido completamente dessa pequena história, até que um dia estive na mesma situação. 

A moça que me atendeu era claramente uma mulher de carreira - eficiente, autoconfiante e provavelmente orgulhosa de ter um trabalho. 

"Seu emprego?", ela perguntou com um olhar desinteressado. Eu não sei o que deu em mim, mas estas palavras saíram espontaneamente dos meus lábios: "Eu sou pesquisadora-chefe no Instituto de Desenvolvimento Infantil e Relações Humanas."

Ela parou com a caneta em cima do formulário e me olhou como se não tivesse escutado direito. Então eu repeti o que disse, lenta e claramente, entonando as palavras mais importantes. E eu pude ver a sua dificuldade em escrever a enorme frase no pequeno espaço. 

"Posso perguntar o que você faz exatamente nesse instituto?", perguntou cuidadosamente a funcionária. 

Eu respondi confiante: "Eu realizo um programa de pesquisa de longo prazo (que mãe não faz isso?) em laboratório e em pesquisa de campo (dentro e fora). Atualmente, estou trabalhando na minha tese (como gerente de família profissional, é claro) e já recebi quatro prêmios (todas as filhas). Claro, isso é muito exigente e na maioria das vezes eu trabalho 14 horas por dia ou mais (na verdade, você está 24 horas por dia de prontidão). O trabalho é definitivamente mais desafiante do que qualquer carreira de assistência geral na economia ou qualquer coisa, mas a recompensa é muito melhor e mais satisfatória do que qualquer coisa no mundo."

College of DuPage 2014 Commencement Ceremony 91

Era notável como a mulher se comportava de forma cada vez mais respeitosa comigo. No final, ela até me levou pessoalmente à porta. 

Ao dirigir pelas ruas, encantada com minha nova e glamourosa carreira, fui recebida pelos minhas assistentes de laboratório - 13, 7 e 3 anos. Pude ouvir o nosso novo modelo de pesquisa no Programa de Desenvolvimento da Criança (6 meses e fofa), experimentando um novo padrão vocal.

Eu me senti fantástica. Eu derrotei a burocracia! E agora eu aparecia nos arquivos como alguém mais importante e especial do que simplesmente "apenas uma mãe".

Mãe: que carreira maravilhosa! 

Seriam então avós pesquisadoras-seniores no Instituto de Desenvolvimento Infantil e Relações Humanas? Eu acho que sim. E tias são pesquisadoras-assistentes. 

Tutu and Squeak

Ela tem razão e não exagerou nem um pouco: ser mãe é um grande trabalho em tempo integral. 

Comentários

Também incrível