Menina luta contra a anorexia usando o Instagram.

Quando Connie Inglis se olhou no espelho aos 13 anos de idade, não gostou do que viu: peitos pequenos, pneuzinhos, celulite e coxas se roçavam. Mas, sem dúvida, a parte que mais a deixava infeliz era sua barriga. "Eu queria que ela fosse perfeita e lisinha, como a das meninas que eu idolatrava. Mas eu nunca conseguia, por mais que eu tentasse". Foi então que começaram os 10 anos mais terríveis para Connie, nos quais a anorexia se apoderou completamente da vida dessa menina de Leeds, na Inglaterra. 

Connie fazia todo o possível para não comer absolutamente nada e entrou em uma espiral de autodestruição. "Ninguém sabia o que estava acontecendo comigo. Eu me escondia sob roupas largas e mantas. Me negava a sair de casa e sempre me negava a comer, dizendo que não me sentia bem", explica a jovem britânica. Sua família não tinha nem ideia de que Connie tinha anorexia até o final de 2015, quando o corpo dela não aguentou mais. Até então, só a haviam medicado contra depressão. 

O peso de Connie flutuava constantemente e ela chegou a cortar a própria barriga para tentar acabar com o que acreditava que lhe sobrava. Mas no final de 2015, a coisa ficou realmente séria: "A anorexia havia se apoderado da minha vida e eu só queria morrer". Depois de dar entrada tês vezes no hospital, a gravidade de sua situação fez com que eles decidissem colocar uma sonda nasogástrica nela para alimentá-la. "Me obrigaram a ver como meu peso ia subindo semana a semana e eu já não podia fazer nada a respeito (ainda que tenha tentado). Eu odiava todo mundo que tinha me levado a essa situação".

Mas o que realmente salvou Connie foi o apoio de sua família e de seu namorado: "Em um momento eu perguntei ao meu namorado se eu podia comer e ele me disse que isso era o que eu deveria fazer. Foi então que me dei conta de que amava mais a minha família do que o meu transtorno alimentar. E então comecei a lutar com todas as minhas forças."

A recuperação de Connie estava caminhando. E graças à sua conta no Instagram e a um grupo de WhatsApp Connie descobriu uma nova maneira de superar a doença ao mesmo tempo que estimula o restou do mundo a amar seus corpos. Mediante as fotos, às vezes pouco favorecedoras, Connie quer que as pessoas se deem conta do que é verdadeiramente importante na vida. 

Na foto que ela compartilhou em dezembro de 2015, em seu pior momento, a menina está terrivelmente magra. É incrível ver o quanto ela mudou em um ano! Mas Connie não quer usá-la para causar pena, nem dar a entender que sua luta é mais importante do que a dos demais. Ela quer apenas que outras pessoas que sofrem pelo mesmo motivo encontrem motivação para sair dessa. "Eu ainda tenho pensamentos negativos, mas sou suficientemente forte para resistir. Vá em frente! Você pode sair deste inferno e eu estarei ao teu lado em cada passo que você der! Podemos conseguir juntos!"

Além disso, Connie começou uma campanha no site justgiving para ajudar outras pessoas com transtornos alimentares. A vida dela agora é muito melhor: ela estuda arte na universidade e conheceu gente maravilhosa. "A anorexia é muito persistente: ela crava suas unhas muito profundamente em você. Mas eu decidi que é hora de me recuperar e decidi tentar com todas as forças que tenho".

Nós desejamos a Connie muita sorte em sua luta e que ela continue tão feliz quanto parece em suas fotos atuais no Instagram. Se você acha que pode ter algum distúrbio alimentar, não o esconda e procure ajuda. Existe uma saída para você!

Fonte:

Dailymail 

Comentários

Também incrível