Líder de acampamento matou crianças por mais de 20 anos.

Alguns aspectos da natureza humana permanecem inexplicáveis. Há pessoas que realmente têm prazer em ver as outras sofrerem e em torturar suas vítimas. O russo Anatoly Slivko era um desses monstros.  

Por fora, Anatoly era um marido amável e pai de duas crianças. Porém, por dentro, ele nunca realmente teve qualquer interesse em sua família. Em 1961, Anatoly testemunhou um acidente de trânsito terrível no qual um menino com uniforme da escola foi atingido por um veículo. Profundamente afetado pelo que viu, Anatoly não conseguiu tirar a imagem do corpo sem vida e ensanguentado de sua cabeça. Estranhamente, a cena o deixou sexualmente excitado como nunca havia ficado. 

Considerado um membro respeitado da comunidade, Anatoly era o líder de um clube de garotos chamado "Chergid". Todo menino na cidade sonhava em fazer parte do clube. A reputação de Anatoly era tão boa, que os pais nunca se sentiram desconfortáveis em deixar as crianças escalarem, acamparem ou viajarem com ele. Muitas crianças tinham os melhores dias de suas vidas nos acampamentos - ninguém sequer pensava que Anatoly faria algo para machucá-las.     

Na verdade, Anatoly era tudo, menos uma figura paterna respeitável. Todo ano, o líder do acampamento escolhia um ou dois meninos e tentava ganhar sua confiança. Contava a eles sobre um filme de guerra que queria gravar na floresta e os convencia a juntarem-se a ele. Para satisfazer suas necessidades, Anatoly até tinha "prisioneiros" amarrados e torturados em algumas cenas. Como tinham uma relação tão próxima com Anatoly, os meninos não contavam a ninguém o que acontecia.

Além das gravações, Anatoly fazia experimentos com as crianças, dizendo-as que isso as ajudaria a relaxar. Isso envolvia enforcar os meninos até que eles desmaiassem. Ainda que Anatoly prometesse revivê-los logo depois, nem todos os 43 meninos que passaram por isso sobreviveram.

Sete crianças sob seus cuidados morreram durante esses experimentos. Foi só depois que um dos meninos finalmente contou aos pais sobre os experimentos e as gravações que a polícia começou a investigar - mais de 20 anos após o primeiro assassinato de Anatoly. Enquanto investigavam a casa do clube, as autoridades encontraram várias gravações, sapatos das vítimas e muitas outras lembranças que Anatoly guardava de suas vítimas. 

O maldito monitor de acampamento foi sentenciado à morte por assassinar sete crianças, abusar sexualmente de outros sete, e por necrofilia, sendo executado em setembro de 1989. Ainda assim, durante as audições, muitas crianças testemunharam dizendo que gostaram dos acampamentos com ele. Como os pais estavam sempre muito ocupados, as crianças tinham tido várias aventuras com Anatoly e, do ponto de vista delas, ele sempre tinha tido tempo para elas e feito o que elas queriam. 

No final das contas, Anatoly só estava interessado em realizar seus desejos sexuais. Ao trair a confiança da comunidade da forma mais terrível possível, ele se tornou um dos assassinos mais notórios da União Soviética. Um verdadeiro monstro. 

Fonte:

Youtube

Comentários

Também incrível